Verifique se entregamos em sua cidade clicando aqui.

Inovação Social e Redução de Desigualdades

  • 2 min ler

Inovação Social e Redução de Desigualdades

Oi gente bacana,

É com muita gratidão que inicio minha primeira coluna aqui na Greenpeople. Vou escrever uma vez por mês, sempre abordando temas vinculados à inovação social, redução de desigualdades e negócios de impacto. Ou seja, vou propor formas de construirmos um mundo melhor para todos e todas e contar exemplos de quem anda fazendo isso.

Nesses tempos, se preocupar com o futuro tem sido uma constante, como serão os dias que estão por vir, como será o “novo normal”? Esses pensamentos, de algo que virá, escondem que o futuro é o resultado de nossa atuação, de nossas escolhas e comportamentos enquanto indivíduos e sociedade. Assim, ter um futuro diferente significa agir de forma distinta do que vínhamos atuando até então, como pessoas e enquanto grupos e comunidades.

Vivemos num mundo de desigualdades absurdas, onde a concentração de renda, de recursos e possibilidades é chocante. Por exemplo, em 1879 Thomas Edson criou a lâmpada elétrica, ou seja, há mais de um século. Ainda hoje metade da África subsariana não a usa, pois não tem acesso à energia. Será possível pensar que isso é normal?

Somos capazes de criar tecnologias para resolver grandes questões da humanidade, fizemos ferramentas de edição de genoma, chips que simulam órgãos, mas não conseguimos garantir água potável, alimento e saneamento básico para todos. Sabemos que as 26 pessoas mais ricas do mundo concentram a mesma riqueza que 3,8 bilhões de pessoas, quase metade dos habitantes da Terra. Permitiremos que essa continue sendo nossa realidade?

Cada um de nós tem um papel único e fundamental na transformação do mundo. Sim, tenho certeza que ele pode ser melhor! Diariamente tenho visto exemplos de pessoas e organizações que constroem soluções incríveis, que incluem os que mais precisam, que se endereçam aos verdadeiros problemas da nossa sociedade. Eita! Esse já é o assunto da nossa próxima coluna. 

Não nos esqueçamos que nossa forma de viver, se relacionar, escolher, consumir, trabalhar, constroem a cada minuto o futuro que almejamos ou nos levam a reproduzir desigualdades e injustiças. Por isso, vamos nos encher de energia e buscar conhecimento, arregaçar as mangas, pra garantir a plenitude de cada pessoa que habita nosso planeta. Acima de tudo, vamos escancarar nossos corações, é o amor que nos dará força, nos empurrará sempre no caminho do bem comum.

Até mais e fiquem bem!

 Escrito por Carla Panisset.

 

 

 Mulher, apaixonada pelo Rio, mãe do Joca, Lili e Tintin, esposa do Vini.  Graduada em Psicologia, com mestrado em Psicologia Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (doutorado ainda não concluído na mesma área), com especialização em gestão de projetos pelo IBMEC, inovação pela HSM e Liderança pela Fundação Dom Cabral. Foi professora da UERJ, PUC e da Universidade Estácio de Sá. Desenvolveu pesquisas e publicou artigos sobre pobreza, focalização de políticas públicas, empoderamento feminino. Atua há mais de 10 anos na promoção do empreendedorismo e da inovação social. Atualmente trabalha no Sebrae, coordenando a unidade responsável pela promoção dos negócios de impacto social, empreendedorismo na base da pirâmide, inclusão produtiva e apoio a minorias.

 

Foto: Cadu Andrade , Rio de Janeiro / RJ

Buscar